BananinhaAzul porque um dia perguntei a cor de uma banana á minha filha e ela respondeu azul. Embora também pudesse ter este nome porque a cor azul é repetidamente relacionada com Autismo.
Com este blog passo a fazer uma das coisas que mais gosto de fazer que é escrever e escrevo sobre uma temática em que realmente tenho alguma coisa para dizer... Goste!

quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

Ecolalia

 
A Bruna faz muita ecolalia, já aqui tinha dito. Desde palavras soltas a frases inteiras, a coisas que ouve na televisão, coisas com sentido e coisas sem sentido...
A ecolalia é isso mesmo é a repetição de palavras ou frases, inteiras. É muito comum, crianças autistas fazerem repetições, quer seja logo após o interlocutor as dizer, ou há casos em que a criança guarda na memória e repete tempo depois. A isso se chama a ecolalia imediata e a ecolalia tardia.
Algumas pessoas dizem que a ecolalia não tem sentido, mas, já é bom sinal os nossos meninos a fazerem, porque possivelmente vão fazer uma evolução, desde o uso primitivo de algumas palavras globais até à ecolalia com algum significado simbólico. Mesmo que não atinga uma comunicação perfeita pode servir como sistema de comunicação para o autista.
 
 
 
 
Alguns técnnicos defendem que a criança começa por adquirir uma linguagem expressiva e utiliza a linguagem, para expressar algo a respeito de si proprio. 
Numa segunda fase, apareçe o uso de linguagem apelativa, onde a criança procura exercer uma modificação sobre o ambiente, para alivio de alguma necessidade.A Bruna ontem disse-me " Quero água" disse isto quando tinha sede, "Quero bolicao" e estava a mexer no sítio onde os costumo ter, e "Quero banana" olhando para a fruteira. Estava então a ter uma linguagem apelativa.
A ultima fase da linguagem, é a linguagem descritiva, uma função mais madura, quando a criança atinge a capacidade de descrever verbalmente, algo a respeito do ambiente, ou de si mesmo. Esta ultima função é atingida apenas quando existe a plena capacidade de simbolização.
Ekstein defende que as crianças autistas só fazem uso da linguagem expressiva e ocasionalmente da linguagem apelativa. Eu na minha modesta opinião, não concordo, não em todos os casos!
Nem sempre a ecolalia da Bruna tem significado semântico. Não são raras as vezes, que eu penso que ela repete, porque quer comunicar alguma coisa que se lebrou, ou que achou graça.
Ontem disse-me " dói a garganta", suponho que tivesse ouvido isto na escola, houve uma altura, quando ouviu a avó a dizer que lhe doía os pés repetia "dói o pé"... ainda esta manha repetiu a música que estava a dar de uns bonecos, que estavam a passar na televisão... a minha grande dificuldade é mesmo entender o que ela quer dizer, eu já cheguei à conclusão que ela quer dizer alguma coisa, mas o quê, eu não sei... por vezes também noto que ela usa expressões que não têm o significado simbólico correto, por vezes ele pede-me água e não é água que quer, por vezes é comida e ela também usa o " quero água", para uma coisa que eu não entendi ainda...
Deve ser difícil para as crianças autistas, quererem comunicar alguma coisa que não conseguem e nós não os conseguirmos entender...
Mas como já disse, a ecolalia já é um bom sinal!
Aqui ficam algumas dicas de como aproveitar a ecolalia, até que esta se torne de facto em comunicação eficaz:
 
-Ajustar a nossa línguagem ao nível de entendimento da crianças
  • Evitar falar excessivamente
  • Conseguir a atenção da criança antes de começar a falar, chamando pelo seu nome e usando o corpo se preciso( segurar pela mão, ou pelo braço)
  • Falar de coisas com importância, do género, o que faz ou tenta fazer, o que vai fazer,o que fez, acontecimentos familiares à criança
  • Usar repetições de frases
  • Componha e decomponha frases, para ajudar a criança. Componha ex: "colocar papel.", "papel no lixo", "colocar papel no lixo" . Decomponha ex: " Pega na colher e come a sopa". " Pega na colher, " " agarra a sopa" e "come a sopa".
  • Relacinar sempre o que diz a objectos (se possivel) utilizando demonstrações
  • Se a criança fixer alguma coisa mal. mostre-se desagradado mas com voz serena acompanhada de expressão facial
  • Use gestos para dar suporte ao que diz
  • Oiça sempre com atenção
- Responder sempre à interação da criança.
-Ajustar a linguagem ao nível de desenvolvimento da criança.
- Adiar o treino de pronomes pessoais até uma fase em que a criança esteja mais avançada.
 
 A ecolalia, já foi de resto, vista como um comportamento inadequado do autismo, mas hoje em dia, os técnicos consideram uma forma de dar inicio à comunicação, e eu, já fico contente com as poucas coisas que a Bruna diz, embora não seja ainda uma linguagem muito eficaz...
 
 

2 comentários:

  1. Olá Edite, há meio ano a minha filha também repetia muito o que ouvia , foi a partir dessa fase que a comunicação começou a evoluir de dia pra dia. Ela muitas vezes diz coisas que as pessoas não entendem, mas há sempre uma ligação (ela associa muito a coisas dos desenhos animados) por exemplo: quando eu ou alguém diz que está mau tempo ela vira-se e diz "Wall-e leva a Eva pa casa" eu percebo - no filme - o Wall-e leva a Eva para casa por causa da tempestade, é a maneira dela dizer que realmente o dia está mau - mas às vezes até eu tenho dificuldades em perceber o raciocínio.
    A tua menina de certeza que também faz ligações, o problema é mesmo percebe-las...

    bjs

    ResponderEliminar
  2. Olá,

    Eu também acho que a ecolália é algo positivo. Apesar de ser muito "sonora" nunca percebia o que a minha pequena dizia, agora notasse que ela presta mais atenção e já identifica muita coisa e faz associações, mas repete muito as falas dos desenhos animados, chega mesmo a antecipar, mas também já começa a aplicar algumas coisas correctamente.
    Mesmo muitas vezes não entender o que ela diz ou mesmo o facto de ver que ela repete as coisas, o certo é que aos poucos vai dando uso há linguagem e isso é positivo.
    O resto o tempo o dirá.

    Bjinhos

    ResponderEliminar