BananinhaAzul porque um dia perguntei a cor de uma banana á minha filha e ela respondeu azul. Embora também pudesse ter este nome porque a cor azul é repetidamente relacionada com Autismo.
Com este blog passo a fazer uma das coisas que mais gosto de fazer que é escrever e escrevo sobre uma temática em que realmente tenho alguma coisa para dizer... Goste!

quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

O Poder do Não

Imagino que devo ser muito chata, imagino como a Bruna se sente a ouvir constantemente a palavra não, não mexas aqui, não mexas ali, não, não, não... No entanto, ainda não consegui treinar o meu reportório de forma a evitar o não.

O não é uma palavra muito forte.

Quanto mais precisa for a línguagem, melhor será o resultado da nossa comunicação. O não, por si só, não diz nada, logo o cérebro fixa-se no resto da frase e não na ordem e no comportamento que queremos evitar.

Ex:- Não pense no balão azul
      - Pense no balão azul

No que é que pensou ao ler, uma e outra frase? No balão azul, não foi?! Assim sendo quando queremos obter um resultado, o melhor é referirmo-nos ao que queremos de uma forma directa. O modo de falar é tão importante, que influencia a percepção com que as outras pessoas ficam de nós. Demonstrar positivismo, leva a que a nossa mensagem seja ouvida com mais atenção. Queremos motivar a criança para determinado comportamento e não, distraí-la.
As palavras negativas são desencorajadoras, é de evitar também, a palavra nunca e outras formas negativas, que têm o mesmo efeito que um não.








Outros exemplos:

- Não mexas nisso.
O melhor é dizer:
-Vai brincar com ___________

- Cuidado para não caires.
O melhor é dizer:
Olha para o degrau, toma atenção.


Além do mais, com a Bruna aconteçe que, quanto mais eu digo que não a alguma coisa, pior ela faz.
É mesmo caso para, rever a forma de comunicar com ela!

2 comentários:

  1. A minha filha também tem um vocabulário pobre mas o não percebe bem e aplica-o bem, por isso a maior parte das vezes acabo por dizer não faças isso ou não para qualquer coisa e tenho reparado que cada vez ela faz pior!!! Realmente são boas dicas e também é melhor avaliar a maneira que comunico com a minha pequenina.

    Bjinhos

    ResponderEliminar
  2. Quando estava a tirar o curso tive a oportunidade de ler um artigo em que retratava isso. Por exemplo, quando se obrigava as crianças a escrever muitas vezes "não me volto a levantar sem autorização do professor", a criança não vai fixar o não. Por isso, a mensagem deve ser transmitida pela positiva, por exemplo "Só me levanto com a autorização do professor."

    ResponderEliminar