BananinhaAzul porque um dia perguntei a cor de uma banana á minha filha e ela respondeu azul. Embora também pudesse ter este nome porque a cor azul é repetidamente relacionada com Autismo.
Com este blog passo a fazer uma das coisas que mais gosto de fazer que é escrever e escrevo sobre uma temática em que realmente tenho alguma coisa para dizer... Goste!

segunda-feira, 11 de novembro de 2013

A Importância da Mielina no Autismo

Olá, como vos disse na ultima sexta feira no post da sugestão "Alzheimer´s Project" ,este fim de semana foi de pesquisa, para mim. Andei a ler, sobre as semelhanças entre a doença de Alzheimer e o Autismo.
 Os problemas mais óbvios, em comum, são as alterações no hipocampo, com as suas alterações no processamento de memórias, mas, uma coisa em particular chamou-me a atenção, as alterações na Mielina.

A Mielina constituída por 70% lipídios e 30% proteínas, actua como um isolamento elétrico e aumenta a velocidade de propagação do impulso nervoso ao longo do axônio.  
As sinapses são dadas pelo final do axónio de um neurónio, ao dentrito ou corpo celular de outro neurónio. E é assim que as informações passam e quando isso não aconteçe, resulta em perda de funcionamento para as áreas do cérebro.

Se no Autismo existe perda de funcionamento do cérebro, logo, isso pode dever-se a alterações da Mielina, (embora  também exista a hipótese de estar relacionado com as proteínas neuroligina -1 e neuroligina -2, ou outras).

Nas muitas leitutras que fiz, encontrei informações, sobre, como reconstruir a Bainha de Mielina:

  • Evitar açucares e comidas processadas
  • Aumentar o consumo de ómega-3 e ómega-6 comendo peixes gordos pelo menos 2 vezes por semana (  salmão, atum, sardinhas, trutas). Para ter a certeza, de que o seu filho ingere as quantidades suficientes de ómega 3 pode dar-lhe os ómegas em suplementos, a Bruna toma e é algo que está ciêntificamente comprovado que melhora a capacidade intelectual.
  • Ácido oléico é necessário. Azeite, abacate e nozes contêm ácido oleico. 
  • Aumentar a ingestão de vitamina B e D ( produzida, sobretudo, pela ação dos raios ultravioleta B na pele, embora também possa ser obtida em alguns alimentos, principalmente peixes gordos, ou pela suplementação vitamínica.) 



Para ser sincera, já me começo a cansar de tantas hipóteses e nenhuma certeza. Nós pais de crianças autistas, andamos sempre "á caça" de novas informações viáveis, para ajudar as nossas crianças, mas eu ás vezes já começo a ficar baralhada, com tanta informação. É certo que "o saber não ocupa lugar", já dizia o meus pai, mas é demais.
Contudo, fiquem atentos que nós não desisistimos, os primeiros a abandonar os barcos são os ratos e de ratos. nós não temos nada.

Quarta feira, tenho outra informação muito interessante para vos dar, fiquem atentos...

Beijinhos


2 comentários:

  1. Sou psicóloga, tenho Esclerose Multipla e sempre pensei no autismo como caminho inverso da minha doença... tenho 19 anos de esclerose multipla minha doença é desmielinizante, estou com 37 anos e convivo com perdas significativas... motor, de equilibrio, tenho uma paraparesia do lado direito, mas trabalho normalmente e hj t6rato com vitamina d associada a uma dieta ovovegetariana e tenho sentido melhoras!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ainda bem que se sente melhor. Muita força é o que lhe desejo. Beijinhos...

      Eliminar