BananinhaAzul porque um dia perguntei a cor de uma banana á minha filha e ela respondeu azul. Embora também pudesse ter este nome porque a cor azul é repetidamente relacionada com Autismo.
Com este blog passo a fazer uma das coisas que mais gosto de fazer que é escrever e escrevo sobre uma temática em que realmente tenho alguma coisa para dizer... Goste!

quarta-feira, 19 de junho de 2013

O João

O post de hoje, vem em forma de agradeçimento ao João.
Querem saber quem é o João? Pois eu também não o conheçia, mas do alto da sua infância, fez-me lembrar o quanto é importante uma criança autista, ter um irmão, uma irmã, um primo, ou uma prima, um vizinho, um amigo com quem brincar...
Esta tarde fui mais uma vez à piscina de água quente, com a Bruna. Ela foi ter hidroterapia e o terapeuta, que me tinha pedido para entrar na água com os dois, deixou-nos permanecer na piscina depois da aula ter acabado, porque a seguir era hora de natação livre.
Quando acabou a aula, ficamos as duas a brincar. Daí a um bocado apareçeu um menino, com uma carinha muito mimosa de criança reguila e veio logo mergulhar para perto de nós. Não estava mais ninguém na piscina, e eu disse à Bruna que estava a olhar para ele, - Olha o menino. E ele continuava a mergulhar e a brincar, ela começou a rir para ele e ele começou a rir para ela e aos poucos foi-se aproximando. Eu disse à Bruna, - Diz olá ao menino. Mas ela continuava a rir e a não dizer olá, que é o "normal". O miudo começou a ir ao fundo e suster a respiração e como ela faz isso muito bem, eu larguei-a e ficáram os dois a ir a baixo e a vir a cima. E sorriam, um para o outro. Ele disse-lhe : - Estás-me a imitar? E ela, claro, não respondeu, continuou a olhar e a sorrir. Nessa altura ele perguntou-me:

- O que é que ela tem?
- Ela é autista. Sabes o que é?
-Não
-Ela não sabe falar muito bem e não sabe brincar muito bem.
 Ele acenou com a cabeça, como se já tivesse percebido isso e disse.
- Sim... Ela anda numa escola especial?
- Sim.
- Eu tenho um amigo também..
- Tens um amigo, que anda numa escola especial?
- Sim, e tenho uma tia surda-muda, para falar com ela tem que ser com gestos.
- E tu sabes falar com ela?
- Sei
- Qie idade é que tu tens?
-Tenho 11

Nessa altura deu a mão à Bruna e disse-lhe, - anda. E foram os dois a andar por ali fora...
Ele foi buscar um colchão, meteu-a com a barriga em cima do colchão e dizia-lhe; - Bate o pés. Vês, assim... e mostrava como fazer... Ela não fez e ele acabou por desistir, mas ainda andou um bocado com ela em cima do colchão...
Depois foi buscar uma bola e mandou-lha e eu estáva a tentar que ela lha mandasse também, mas ela não mandou. Ele perguntou-me:

-Ela não sabe mandar?
- Sabe mas não manda para muito longe.
Ela mandou para, muito muito perto e ele disse : - Ela só manda isso?
Desistiu também.

Foi buscar outro colchão, já eram dois e eu fui agarrar a Bruna cheguei-me ao pé dele e disse-lhe:

- Vá tu és o capitão e a Bruna é o marinheiro, mas a Bruna depressa passou a ser o tubarão.
Bem em seguida o que aconteçeu foi que andei a agarrar a Bruna a andar atrás do João pela piscina a fora a dizer que vinha´lá o tubarão e que o ia apanhar.
A Bruna delirou. E o miudo também gostou.
Quanto a mim, pois eu devia pareçer uma tola, porque me esqueçi das pessoas que estavam no café a ver lá de cima. Mas querem saber? Não estou minimamente preocupada com essas opiniões. Se brincar é ser tola, vou ser sempre muito tola, muito mesmo, porque para ver a minha filha a sorrir com os olhos a brilharem e com um ar feliz, serei a maior tola.

Quanto ao miudo, um grande obrigada, um obrigada também aos pais dele que o educaram de forma a ser amigo, mesmo de pessoas que são "diferentes". Diferente, mas tão criança, quanto ele próprio. Foi só uma hora, mas foi uma hora muito feliz!
Marcamos encontro para sexta feira. Sexta feira lá estaremos...

6 comentários:

  1. Não fiquei, com lágrima no canto do olho, ela escorre pela face.
    Encantada com a empatia e a brincadeira, que transbordou para aqui dos ares de felicidade.
    Deixa-te ficar "tola", que sexta o João regresse, para brincar com a Bruna.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  2. Nós parecemos tolas mas é uma tolice boa, Edite! Eu dou por mim a fazer figuras tolas com o meu Gui e também com a minha Lara, a refilona mais nova cá de casa. Mas não me importo! É tão bom , principalmente porque o Gui entra nessas "tolices"!!!

    ResponderEliminar
  3. mas são tolices tão boas!! também tenho muitas tolices com o meu Gui (autista) e a minha Lara, a refilona mais nova cá de casa!!

    ResponderEliminar
  4. acontece-me muitas vezes no infantário do meu Tiago, situações similares....as crianças, normalmente, aceitam bem a diferença....quando chegam aos 10712 anos, começam a selecionar, e aí começa os problemas....já senti o que tu sentiste.....ver a nossa cria a brincar "de igual para igual" com outra criança....eu tenho esperança no futuro e que exista mais "Joões" por aí....Belo testemunho.
    Paulo Anacleto

    ResponderEliminar
  5. Que lindo gostaria muito de encontrar um João para brincar com o meu Rafael ! Beijos para Bruna !

    ResponderEliminar